Essa história vai te fazer refletir sobre o que é riqueza de verdade

O pescador e o executivo

Um executivo que passava suas férias numa cidadezinha costeira, estava no cais quando viu aproximar-se um pequeno barco de pesca com um só homem a bordo. Dentro do barco brilhavam ao sol vários peixes grandes com excelente aspecto. O executivo cumprimentou o pescador pela beleza e qualidade dos peixes e perguntou quanto tempo ele havia levado para pescar peixes tão grandes.

O pescador respondeu:

– Não muito, senhor, eu diria que levei somente algumas horas.

O executivo espantado falou-lhe:

– Certamente você é um bom pescador e esses peixes são excelentes. Então porque não ficou mais tempo no mar para pescar mais peixes?

O pescador riu.

– Porque faria isto, senhor? Eu ganho o suficiente para sustentar a mim e a minha família. Eu não preciso pescar mais peixes.

O executivo então perguntou:

– Mas o que você faz o resto do dia?

O pescador respondeu:

– Eu estou completamente livre para fazer o que eu quero. Brinco com meus filhos, tiro uma soneca com a minha mulher e vou à cidade no final da tarde onde bebo e toco violão com os meus amigos. Eu tenho uma vida cheia e boa, senhor.

O executivo zombou dele:
– Ah! Você pensa que tem uma vida boa… e tirando do bolso um cartão de visitas completou: eu sou graduado em administração de empresas e posso ajudá-lo. Pelo que vejo, você poderia pescar por mais tempo em cada dia e de acordo com o produto da sua pesca, você rapidamente poderia comprar um barco maior. Depois de algum tempo venderia esse grande barco e compraria vários barcos e até eventualmente, teria a sua própria frota. Certamente precisaria contratar uma equipe de pescadores, mas não se preocupe, pois eu conheço a pessoa certa que pode nos ajudar a recrutá-los.

Enquanto falava, o executivo fazia anotações e desenhava diagramas. E continuou dizendo:

– Em alguns anos, ao invés de vender para um intermediário, você poderia vender diretamente para as fábricas ou, quem sabe, ter a sua própria fábrica para industrializar os peixes. Desse modo você controlaria o produto, o processamento e a distribuição. Lógico que você precisaria se mudar desse vilarejo para uma cidade maior. Certamente, você entende, precisaríamos melhorar o seu perfil no mercado. Daí, provavelmente você teria que se mudar para um centro mais dinâmico, uma metrópole, com acesso a grandes mercados no mundo, onde poderia controlar o sucesso de seus negócios e expandi-los ainda mais.

O executivo parou de falar, meio sem fôlego, e esperou pelos agradecimentos por parte do pescador por tão sábios conselhos. Mas, este, ponderou:

– Mas senhor, quanto tempo isso levaria?

O executivo, fazendo anotações e utilizando a sua calculadora, replicou:

– Ah! Acredito que alguma coisa entre 15 a 20 anos.

– E o que vai acontecer então? Perguntou o pescador.


O executivo riu e disse:


– Essa é a parte mais inteligente e brilhante desse plano. No momento certo – e eu ficarei muito contente em avisá-lo – você abrirá o capital da empresa colocando as ações na bolsa de valores, vendendo-as para o público e tornando-se muito rico. Poderá ganhar centenas de milhões.


– Centenas de milhões, senhor? Perguntou o pescador coçando o queixo. E depois o que acontecerá?


– Bem, você poderá se aposentar como um homem muito rico, e escolher a vida que deseja para você e a sua família. Por exemplo, poderá se mudar para uma cidadezinha costeira, e fazer tudo aquilo que gosta: pescar, brincar com seus filhos, tirar uma soneca com a sua mulher e ir à cidade todos os finais de tarde para beber e tocar violão com os seus amigos. Você teria uma vida cheia e boa.